Pular para o conteúdo principal

Iniciativa estimula o empreendedorismo entre negros

Por Marcelo Pereira

O povo negro, infelizmente, tem muitas dificuldades em qualquer setor da vida. Nossa sociedade é racista e infelizmente só enxerga defeitos no povo negro. Defeitos irreais que só existem na cabeça de quem tem o preconceito. Mas uma iniciativa pretende incluir os negros e não-brancos no mundo do empreendedorismo, representando uma importante oportunidade de inclusão sócio-econômica.

O Kilombu surgiu como um aplicativo para estimular negros e descendentes a entrarem no mercado do empreendedorismo, para oferecer produtos e serviços mais diferenciados, além de servir como oportunidade de crescimento profissional a indivíduos que tradicionalmente encontram dificuldades de inserir neste tipo de mercado.

É uma iniciativa extremamente importante e eu apoio totalmente. Negros, do contrário que os racistas dizem, são trabalhadores, extremamente criativos e altamente inteligentes e talentosos. O fato de terem a triste experiência como vítimas de injustiças e dificuldades, os faz empreendedores mais altruístas e humanitários, com grandes chances de evitar os erros típicos do empresariado tradicional, como ganância, exploração e desonestidade.

O racismo tira a oportunidade de muita gente boa mostrar suas qualidades e de contribuir para a melhoria do mundo através da diversidade típica da mentalidade dos negros, cheios de ideias novas a oferecer para a evolução da sociedade.

Vejam o vídeo abaixo e visitem o site da iniciativa, que só merece os nossos elogios e a torcida para que a iniciativa se multiplique e que nossos amigos negros mostram a esta sociedade preconceituosa o imenso potencial que possuem.

A história nos apresentou uma imensa multidão de negros que deram indispensáveis contribuições em vários setores da humanidade. E que venham mais negros a nos enriquecer com seu exemplo, sua criatividade, inteligência e dignidade. Os negros merecem muito mais que o nosso respeito e admiração.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os desafios de uma Administração progressista e humanitária

Por Marcelo Pereira

Hoje, a Administração necessita urgentemente de uma novíssima fase. Mesmo com as mudanças feitas, a teoria e a prática da Administração ainda tem velhos estereótipos em sua base. Essencialmente mudou muito pouco. A Administração ainda está muito vinculada ao Capitalismo e ao ganancioso desejo pelo lucro. 
Os novos teóricos que se manifestam falam em humanismo, que pessoas são o principal ativo das empresas e bla-bla-bla, mas se vê que na prática a coisa é bem diferente. As faculdades de Administração, ao invés de serem polos de formação de gestores, acabam sendo uma fábrica de a aspirantes a magnatas egoístas, gananciosos e preconceituosos. Confundem arrivismo com ambição. É preciso parar com esta mentalidade infelizmente arraigada à ideia de Administração.
O Capitalismo está velho e acabado. Tenta melhorar a sua aparência, modernizar a sua capacidade de sedução, mas não consegue enxergar que a realidade atual exige pessoas realmente altruístas (sem a hipocrisia do…

Renova Brasil: não caia nesta cilada

Por Marcelo Pereira

Uma iniciativa criada por um grupo formado pelos empresários mais ricos do país, chamada de Renova Brasil, ou Renova BR, tem a finalidade de preparar lideranças comprometidas com o neoliberalismo e que criem meios sutis de evitar a justa redistribuição de renda e o progresso de instituições brasileiras, o que poderia ameaçar a  hegemonia das grandes corporações do "Primeiro Mundo" e que prejudique os interesses particulares destes mesmos empresários.
Fracasso nas regiões onde a burguesia não é maioria
Esta iniciativa, criada para tentar salvar o neoliberalismo, que sofreu danos com a crise econômica de 2008, que se mostra um verdadeiro fracasso nas regiões onde a burguesia não domina, é liderada por Eduardo Mufarej, presidente da Somos Educação e tem o Luciano Huck como um dos patrocinadores e garoto propaganda de iniciativa. O ancião Abílio Diniz, o publicitário Nizan Guanaez (que pediu para o "mordomo" do Golpe de 2016, Michel Temer, aproveitar…

Reforma trabalhista do governo golpista é tiro pela culatra

Por Marcelo Pereira

Infelizmente se admitiu tardiamente que o golpe não foi para combater a corrupção. Isso foi papo para angariar apoio popular ao golpe. Na verdade, o golpe foi imposto para salvar os interesses de magnatas brasileiros e estrangeiros, além de satisfazer a elite e a classe média brasileiras em relação as suas convicções e expectativas.
Várias medidas estão sendo impostas à população para proteger os interesses da chamada "Casa Grande", que curiosamente é composta majoritariamente por corruptos. Para salvar a ganância dos capitalistas, optou-se por sacrificar a população , pois é muito mais fácil degolar o fraco para se salvar qualquer sistema.
Entre as medidas amargas que farão a população - e não os capitalistas - sofrerem estão a PEC que limita gastos, a reforma da previdência e a aberração que os golpistas chamam de "modernização" das relações trabalhistas. Entende-se como "modernização" o retorno às condições trabalhistas que existiam…